quarta-feira, 2 de julho de 2014

Sintética, ela está!

Isso é uma poesia sintética, não procure saber se estou bem, ou mal, não perca seu tempo lendo ate o final. Isso é só para quem sente. Os limites da inteligência são frequentemente mais restritos que os da burrice, que parece ser ilimitada....Entende? E a brisa não tem limites, nem na mais velocidade de um neurônio. Lágrimas são expressões bilaterais.Para nós humanos existem limites em todas as situações e as lágrimas são o sinal que este limite chegou. Lágrimas são a expressão máxima dos sentimentos e emoções, tanto para alegria quanto para tristeza. Por isso, acho que meu primo, que recente me visitou, deva entender porque chorei tanto sempre que ele me preenchia de alegria.Lágrimas são a alma e não há prêmio maior. Quem aceita menos que isso, não conhece onde pisa. Palavras... Palavras... Não há limites para recolhê-las. Não há limites para tecê-las. Só quero voltar a voar...Cheirar as nuvens, e desejar que o dobro exista para todos aqueles que os desejam a outrem...o dobro, não a maldade.

4 comentários:

Anônimo disse...

O primeiro texto de 2014;
O único texto em 2014;
02/07 é exatamente a 5 dias do meu dia, e exatamente a 30 dias do seu dia.

"As lágrimas são para a alma, o que o sabão é para a sujeira."

Ditado de algum povo antigo que li, não sei quando.

Beijos.

Fica no anônimo mesmo!

Luis Roberto disse...

Tempo,

Algo insano, queria te-lo sempre a meu favor.

Ver seus textos me inspira.

adaobraga disse...

FELIZ ANIVERSÁIO!
MUITOS ANOS DE VIDA!
SAUDADES MUITAS DE TI!

Adão Braga

Julie Rossi disse...

Adao Braga, voce nao sabe a saudade que estou de ti...a saudade...o tempo me fez de escravo usando a escravidao que é so dele.
Julie